Cloud Computing e Edge Computing: entenda as diferenças!

A aplicação de tecnologias nas empresas está cada vez mais intensa. As soluções permeiam as mais diversas atividades, sendo responsáveis por uma evolução muito grande em termos de automação e por novas formas de executar os processos de fabricação, constituindo a chamada Indústria 4.0.

Nesse contexto, é importante estar atento sobre a lógica de funcionamento das possibilidades existentes. Pensando nisso, entrevistamos Gabriel Salvate, Business Segment Leader da Telit – líder global na área de Internet das Coisas (IoT) – e preparamos este artigo para que você possa ficar por dentro dos conceitos de cloud Computing e edge computing, que são essenciais atualmente. Continue a leitura!

Como funciona o cloud computing?

Em uma arquitetura do tipo cloud computing, todos os dados são coletados e processados ​​em um local centralizado, geralmente em um data center. Aqueles dispositivos que precisam acessar essas informações por meio de sistemas ou aplicativos devem primeiro se conectar à nuvem, que passa a funcionar como base. Essa centralização torna mais simples os processos de proteção e controle, fazendo com que o acesso remoto seja mais confiável.

Ao armazenar ativos e informações em uma nuvem centralizada é possível estabelecer parâmetros para que apenas usuários autorizados possam acessar determinados dados e ferramentas de interesse, em qualquer lugar e a qualquer momento. É uma diferença muito grande dos modelos que tínhamos disponíveis até bem pouco tempo atrás, em que tínhamos que estar presencialmente no mesmo local que a armazenagem para poder realizar o acesso.

A natureza centralizada do cloud computing apresenta uma limitação em relação ao processamento de dados coletados na chamada borda (edge) da rede de maneira rápida e eficaz. No entanto, essa velocidade reduzida da nuvem é compensada em termos de potência e capacidade. Como a infraestrutura de data center é escalável, ela pode expandir sua capacidade de armazenamento e processamento conforme necessário.

O cloud computing é um recurso valioso e que soluciona problemas de infraestrutura de data center mais tradicionais. Ele reduz sensivelmente os custos, aumenta a performance e simplifica o acesso. É uma solução cada vez mais importante para empresas de todos os portes e vem sendo melhorada em termos de prestação de serviços e segurança da informação.

Quais as contribuições do edge computing para a indústria?

Na medida em que os dispositivos da Internet das Coisas (IoT) se tornam mais comuns e incorporam mais poder de processamento, uma grande quantidade de dados está sendo gerada na já citada borda externa das redes de computação.

Tradicionalmente, os dados produzidos pelos dispositivos de IoT são retransmitidos para um servidor de rede central, geralmente hospedado em um data center, no modelo de cloud computing. Depois que esses dados são processados, outras instruções são enviadas de volta aos dispositivos localizados na borda da rede.

Há pelo menos dois problemas com essa configuração. Leva tempo para os dados viajarem do dispositivo de ponta de volta ao centro para processamento. Esse atraso costuma ser apenas uma questão de milissegundos, mas pode ser crítico pensando em termos de seu funcionamento. Além disso, todos os dados que circulam entre a borda e o centro da rede pressionam enormemente a largura de banda. Essa combinação de distância e tráfego de alto volume reduz muito a velocidade, inviabilizando a sua lógica.

Esse conceito é conhecido como latência da rede, e pode ter sérias consequências para os dispositivos que funcionam via IoT. Por exemplo, um conjunto de máquinas em uma planta autônoma passa a reunir uma quantidade muito grande de dados umas das outras, além de outros presentes no ambiente. Se o tempo de decisão desses equipamentos depender de instruções dos recursos de computação no núcleo da rede, um pequeno atraso pode colocar tudo a perder.

Assim surge o edge computing, como uma solução para o problema de latência, realocando o processamento de dados cruciais para a borda da rede, onde estão os dispositivos. Em vez de constantemente fornecer informações de volta para um servidor central, essas máquinas habilitadas podem coletar e processar certa quantidade de dados em tempo real, permitindo que eles respondam com mais rapidez e eficácia.

Cloud computing e edge computing: quais as principais diferenças?

Gabriel Salvate salienta que cloud Computing e edge computing servem ao mesmo propósito. A grande diferença entre eles é que enquanto o processamento de dados do primeiro se dá externamente, naquilo que conhecemos como nuvem, o do segundo ocorre localmente.

De maneira essencial, o cloud computing nas indústrias que implantam sistemas gerenciados via IoT acabam sendo mais utilizados em decisões estratégicas, cruzando informações de diversas fontes por meio do Industrial Analytics, ajudando a determinar, por exemplo, o plano de produção geral. Já o edge computing é crucial para as decisões operacionais que surgem em virtude das condições e situações repentinas ou eventuais do dia a dia.

Como o edge computing potencializa a atuação da nuvem?

Quando usado em conjunto com data centers de ponta que seguem a lógica do cloud computing, o edge computing torna-se uma abordagem versátil para a infraestrutura de rede que tira proveito do abundante poder de processamento oferecido pela combinação de dispositivos IoT modernos.

É preciso lembrar que ambos servem para a mesma finalidade, então se for o caso de uma indústria com um grau de automação mais convencional, o cloud computing pode ser suficiente. Porém, quanto mais os equipamentos com tecnologia IoT embarcada passam a ser utilizados, maior é a necessidade de se investir também no edge computing.

Isso porque, além de aumentar a coleta e processamento de dados, fazendo com que as plantas autônomas se tornem de fato inteligentes, ele faz com que as possibilidades de uso do cloud computing atinja um patamar mais elevado em virtude da abundância das informações e da liberação da capacidade computacional.

Portanto, podemos dizer que cloud Computing e edge computing são tecnologias complementares e fundamentais. Elas viabilizam o funcionamento de sistemas que constituem a indústria do futuro, tornando possível o alcance de níveis operacionais bastante elevados, em conformidade com o que há de melhor em termos de soluções disponíveis para automação.

E então, sua empresa já está adotando essas tecnologias? Deixe seu comentário aqui no post!

Compartilhar

BLOG

Conheça mais posts do nosso blog

Descubra o poder da iluminação solar e como ela pode impulsionar o seu negócio A busca incessante...
Descubra as vantagens da remanufatura e como ela se destaca em relação aos simples reparos No contexto...
Descubra a revolução da iluminação personalizada e automatizada em diversos setores A revolução da iluminação inteligente está...
Ver todos os posts